Médicos do Hospital Geral e da Unidade de Emergência do Agreste pedem demissão


Alagoas24horas
Wellington Galvão explicou que encaminhou pedido de demissão para que os médicos não cumpram mais escala aos finais de semana
Após 37 dias de greve e sem uma resposta de negociação do Governo do Estado, os médicos do Hospital Geral do Estado e da Unidade de Emergência de Agreste, marcaram para hoje o pedido de demissão.
Segundo o presidente do Sindicato dos Médicos de Alagoas (Sinmed), Wellington Galvão, a situação chegou ao limite, são 37 dias de greve e o Governo ainda não se posicionou. “Estamos encaminhado o pedido de demissão ao Hospital Geral do Estado e á Unidade de Emergência do Agreste, para que eles não cumpram mais escalas aos finais de semana”, explicou.
“Os médicos ainda vão cumprir o prazo legal de 30 dias estabelecidos pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), para que o Governo adote suas medidas. Os demissionários não tem contrato e não são prestadores de serviço. Eles são precários. Porém, esses que cumprem nos finais de semana e estão presentes em 90% do Serviço Médico de Urgência e Emergência (SAMU), e 80% da Unidade de Emergência do Agreste (UEA), mesmo assim é esse descaso”, afirmou o presidente do Sinmed.

Ainda segundo Galvão, na próxima segunda-feira (21), vai acontecer uma reunião com o governador do Estado, Teotonio Vilela Filho, para tentar resolver o caos que a Saúde Pública se encontra.
Reinvindicação
A classe está em greve desde o dezembro, esperando acordo com o Governo de Estado. Eles reivindicam a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) e a garantia de concurso público.
por Redação Alagoas24Horas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Veja a relação de aprovados no Exame da Ordem em Sergipe

ORIGEM DE PROPRIÁ - SE

Caminhão furtado em Porto Real do Colégio é recuperado em Propriá/SE