Presos por clonagem de veículos atuavam em Alagoas e Sergipe

por CADA MINUTO, da redação

Foto/Internet

A operação ‘Plagiato’, deflagrada na manhã de ontem (12) para combater clonagem, desmanche e adulteração de veículos, culminou com a prisão de nove pessoas e o desmembramento de uma quadrilha especializada neste tipo de crime que atuava em Alagoas e Sergipe. Além disto, eles eram responsáveis por falsificação de documentos, assaltos a bancos e tráfico de drogas.

Segundo a polícia, há dois anos o grupo atuava na organização criminosa, que tinha a base do em Arapiraca, mas a atuação acontecia também em cidades próximas como Anadia e Major Isidoro. As investigações duraram três meses até a deflagração da operação que contou com a participação de policiais da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), do Tigre, Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), com o apoio da polícia sergipana.

O líder do grupo, Reni Mendes Costa, 39 anos, está entre os presos. Além dele foram detidos Wslan de Oliveira Santos, 29 anos; Erivaldo Sebastião da Conceição, 30 anos; Mayara Santos da Silva, 24 anos; Isaac Lindemberg Bezerra de Oliveira, 29 anos; Luis Felipe Teixeira de Almeida, 30 anos; Djalma Vital de Oliveira, 48 anos; Wellington Tiago da Silva, 23 anos. Um homem identificado apenas como ‘Orelha’ foi preso em Sergipe e será transferido ainda hoje para Alagoas.

Mayara Santos, segundo a polícia, era a pessoa responsável pela falsificação de documentos de carros. Durante a operação, os policiais apreenderam em sua residência um computador onde constavam modelos de documentos de veículos, que ela usava para realizar a falsificação. Durante a ação policial, Isaac Lindemberg chegou a trocar tiros com o Bope, em Arapiraca.

Foram apreendidos documentos falsificados de carros, celulares, máquinas fotográficas, pen drives, carteiras de trabalho, cartões de credito, e vários cheques que totalizavam R$ 71.500. Dentre os veículos apreendidos estavam dois Palios, três moto e um importado.

De acordo com a delegada Maria Angelita, da Seção de Combate a Roubo a Banco (Serb).a operação é uma espécie de desmembramento que prendeu pessoas envolvidas de roubo a banco no Estado.
“Trata-se de uma indústria do crime em Alagoas, já que esses criminosos atuam nas mais diversas áreas e se mobilizam para cometer todos os tipos de crimes como roubo de carros, arrombamento de bancos”, colocou a delegada.

Sobre o modelo de documentos de carros apreendido, a delegada confirmou que a polícia irá investigar como chegou às mãos da acusada. Já sobre a atuação do grupo em Maceió, Maria Angelita disse não descartar essa hipótese.

“Existe a possibilidade de envolvimento deles com o grupo preso no Village Campestre. Isso também será investigado, assim como o envolvimento de outras pessoas, apesar de, no momento, não haver ninguém na mira da polícia. O núcleo principal da organização já foi preso, no entanto, novas prisões podem acontecer”, acrescentou. 

Maria Angelita colocou que a operação é apenas uma ponta do iceberg. “Pode ter mais envolvidos, mas é preciso ter precaução na investigação, porque como os carros eram acima de qualquer suspeita, os documentos precisavam de perícia para identificar se eram mesmo falsos, e há a possibilidade de várias pessoas terem adquirido veículos clonados”, finalizou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aluna de 13 anos é filmada fazendo sexo em escola de São Paulo

Veja a relação de aprovados no Exame da Ordem em Sergipe

Sérgio Menezes Lucas faz aniversário