Polícia ainda não sabe o que aconteceu com Roberta Dias


Arquivo Familiar
Adolescente desapareceu de Penedo no dia 11 de abril
Há exatamente três meses a adolescente Roberta Costa Dias, 18 anos de idade, saiu de casa para ir a uma clínica do bairro de Santa Luzia, em Penedo, fazer a primeira consulta de pré-natal e desapareceu. Mesmo com a promessa de recompensa de R$ 5 mil nenhuma informação concreta sobre o paradeiro da jovem grávida chegou ao conhecimento da polícia e da família da garota que desde o dia 11 de abril vive dias de muito sofrimento.
O delegado Rubem Natário, titular da Delegacia Regional de Penedo, já ouviu o depoimento de dezenas de pessoas próximas a adolescente, mas todas elas declaram que não sabem e não viram o que de fato aconteceu com Roberta Dias. A última pessoa a ver a adolescente antes de seu desaparecimento informou que a gestante disse que iria encontrar com seu namorado e suposto pai do filho que ela carregava.

O namorado de Roberta, um adolescente de 16 anos de idade, foi ouvido e negou que tivesse envolvimento com o desaparecimento da garota. Ele ainda desmentiu a informação de que era namorado da jovem. Os pais do menor também prestaram esclarecimento na Delegacia Regional de Penedo.
Sigilo telefônico de Roberta Dias foi quebrado
Após realizar uma série de oitivas, o delegado Rubem Natário solicitou que fosse quebrado o sigilo telefônico de Roberta Dias com o objetivo de descobrir as últimas ligações feitas e recebidas pela adolescente. De posse do extrato reverso concedido pelas operadoras usadas pela jovem, a polícia informou que não foi possível fazer grandes descobertas, mesmo após a análise detalhada do material.
Os computadores do namorado da adolescente também foram recolhidos pela polícia para serem periciados pelo Instituto de Criminalística, no entanto, o resultado do exame não foi divulgado para a imprensa.
O sofrimento da família de Roberta foi compartilhado durante todo esse tempo pela população penedense que cobra das autoridades uma reposta sobre o caso. Com o objetivo de contribuir com o trabalho da polícia, vereadores de Penedo foram até Maceió pedir ao Secretário de Defesa Social, na época o Coronel Dário César, que participasse mais ativamente do caso.
O pedido foi acatado e a SDS determinou que a Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC) da Polícia Civil conduzisse as investigações. Os vereadores também conseguiram que o Tribunal de Justiça de Alagoas participasse do caso dando uma maior agilidade na quebra dos sigilos solicitados pelo delegado Rubem Natário.
Família sofre sem notícias da adolescente
A irmã de Roberta, Amanda Dias, conversou com a redação do portal de notícias aquiacontece.com.br na manhã desta quarta-feira, 11 de abril, e contou sobre como sua família tem encarado o desaparecimento da adolescente.
“É muito doloroso não saber o que verdadeiramente aconteceu com minha irmã. Minha família não acredita que a Roberta tenha fugido, por conta das últimas coisas que aconteceram com ela, antes de seu desaparecimento. O pior é que a polícia não nos diz nada. Ontem mesmo sai de casa e deixei minha mãe e minha vó, que tem 80 anos, chorando muito. É muito sofrimento, mas ainda temos esperança de encontrá-la”, finalizou.
Ainda segundo Amanda, os policiais civis de Penedo que trabalham no caso junto com o Departamento de Investigação Criminal (Deic), declaram apenas que as investigações se encontram na linha certa e que brevemente o desaparecimento da jovem será esclarecido.
Recentemente o celular que pertencia a jovem Roberta Dias foi deixado por uma mulher em uma loja que conserta celulares em Penedo. A mulher contou que adquiriu o celular de um homem que encontrou o aparelho nas imediações do Restaurante Kiosque, localizado na parte alta da cidade de Penedo. As investigações continuam.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aluna de 13 anos é filmada fazendo sexo em escola de São Paulo

Veja a relação de aprovados no Exame da Ordem em Sergipe

Sérgio Menezes Lucas faz aniversário