Justiça proíbe a diplomação do prefeito eleito de Brejo Grande, SE

Diplomação do vice-prefeito da chapa também está proibida. Judiciário também tornou inelegível o atual prefeito Carlos Augusto Ferria.

Do G1 SE
Brejo Grande/Sergipe
O Promotor de Justiça Substituto Bruno Melo Moura, no exercício da atribuição institucional de Promotor Eleitoral oficiante perante a 32ª Zona, ajuizou Ação de Investigação Judicial Eleitoral do atual prefeito do município de Brejo Grande, Carlos Augusto Ferreira, dos candidatos a prefeito, vice prefeito e vereador, Anderson Ferreira Bastos, José Antônio Dias Ferreira e Fernandes Santos, respectivamente.

O MP requer na Ação a decretação da inelegibilidade e cassação do registro ou diploma dos três candidatos e a inelegibilidade do atual prefeito do município.

O Conselho Tutelar de Brejo Grande noticiou o Ministério Público de Sergipe sobre diversas irregularidades na manutenção do órgão. Durante audiência pública, os conselheiros tutelares relataram que, desde janeiro de 2012, o prefeito e candidatos a prefeito e vice e a vereador distribuíram cheques nominais no valor de R$ 50 e R$ 100 do Fundo Municipal de Assistência Social de Brejo Grande.

Os cheques teriam sido ofertados à pessoas carentes em troca da promessa de votos para os candidatos em questão e são assinados pelo atual prefeito.

A equipe de reportagem do G1 SE tentou falar com o prefeito da cidade, prefeito e vice eleitos, mas não conseguiu.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aluna de 13 anos é filmada fazendo sexo em escola de São Paulo

Veja a relação de aprovados no Exame da Ordem em Sergipe