Deso começa a operar sistema de esgotamento em Propriá

Desde o mês de maio, a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) começou a operar o sistema de esgotamento sanitário no município de Propriá. Agora 45% da população ribeirinha terá acesso a rede de coleta e tratamento de esgoto. O sistema funciona em caráter experimental, ainda sem emissão de cobrança aos moradores. E os benefícios já são visíveis.

No Centro da cidade, um dos principais problemas era que devido a falta de bombeamento da rede, o esgoto transbordava dos poços de visita. “Era insuportável ter que conviver com o esgoto escorrendo na rua. Em frente a minha padaria tem um poço de visita que constantemente transbordava. Só depois que o sistema entrou em operação que a situação melhorou. E espero que nossa realidade continue assim”, comenta o dono de uma panificação em Propriá, Ademi Martins.
Em Propriá, o sistema de esgotamento começou a ser construído pela administração municipal, há dez anos. Mesmo depois de entregue à Deso, a empresa precisou investir cerca de R$ 3 milhões na readequação de toda a rede, inclusive das seis estações elevatórias, para que ela entrasse em operação de forma eficiente.
“Fizemos as ligações de ramais, a substituição de tampas de poços de visita e a colocação de bombas nas estações”, cita o técnico industrial do setor de Obras da Deso, Luiz Neres de Vasconcelos, ao declarar que os investimentos foram necessários para suportar a demanda dos moradores. A empresa, inclusive, ampliou a rede para atender a comunidade do povoado São Vicente.
Investimentos
O trabalho reforma e ampliação da rede foi iniciado pela Deso em 2011, quando a maior parte dos serviços de adaptação foi finalizada. Para a rede começar a ser usada restava somente a colocação de uma bomba na estação elevatória na E7, considerada a etapa final do sistema de esgotamento.
O equipamento foi instalado no mês passado e já começou a operar, recebendo os dejetos de outras estações e bombeando o material orgânico até a lagoa de estabilização, localizada no povoado São Vincente. Nessa área, todo o tratamento é feito de forma biológica, sendo que 85% dos agentes prejudiciais ao meio ambiente são eliminados.
Tando o tratamento como a coleta passaram a operar em fase de testes. As etapas do sistema de esgotamento são avaliados pela equipe técnica da Deso nesse período. Já os moradores atendidos pela rede de esgoto serão informados, antecipadamente, sobre a cobrança da taxa referente ao serviço, somente quando o procedimento comercial for iniciado.
Assessoria de Comunicação

Comentários

Anônimo disse…
E como a unidade está funcionando? Não teve nem concurso ainda...

Postagens mais visitadas deste blog

Aluna de 13 anos é filmada fazendo sexo em escola de São Paulo

Veja a relação de aprovados no Exame da Ordem em Sergipe