Venâncio: Quem mudar o voto do Proinveste passará ideia que recebeu doce


Deputado rechaça o que entende como agressões que Jackson vem fazendo à oposição

Ampliar Foto
Venâncio: Quem mudar o voto do Proinveste passará ideia que recebeu doce

Venâncio: querendo respeito

Por Joedson Telles

Se o governo do Estado pretende mesmo reapresentar os Projetos de Lei do Proinveste e vê-los aprovados na Assembleia Legislativa precisa afastar o vice-governador Jackson Barreto (PMDB) das negociações, mantê-lo de boca fechada nas emissoras de rádio e sem usar o Twitter para comentar o assunto. O juízo ficou patente para quem assistiu ao pronunciamento do líder da oposição na Casa, o deputado Venâncio Fonseca (PP), na manhã desta terça-feira 11, motivado por postagens feitas por Jackson Barreto em seu Twitter, no último final de semana.

Na íntegra o que postou Jackson: “Dep Venâncio me comparou à rainha Elizabeth, disse q n mando em nada. Gostei da comparação, a imagem e o poder da rainha são fortes no mundo. Todo reino tem a sua vassalagem. Venâncio, é melhor ser a rainha Elizabeth do que ser vassalo, fantoche, marionete. Venâncio, esse é o seu papel na Assembleia: Fantoche, marionete e vassalo dos Amorim. Enquanto eu faço um papel de realeza, Venâncio faz o papel da vassalagem dos Amorim. O papel é dele e de outros na Assembleia. Venâncio, você sabe pq Déda não aprovou o Proinveste, não foi por falta de voto ou prestígio, mas por uma coisa que você sabe que é REAL”, disse.

Segundo Venâncio Fonseca, as postagens falando em real e a história do “doce” ventilada pela primeira vez numa rádio de Aracaju não deixam dúvidas: a ideia é macular a imagem da Casa falando em dinheiro. “Insinuar que os deputados queriam doce? O vice-governador tem que respeitar os deputados”, disse Venâncio. O deputado acredita que, com a agressão, o deputado da oposição que mudar o voto e aprovar o Proinveste, caso este volte à pauta, passará a ideia que recebeu propina do governo.

Salientando que o vice-governador Jackson Barreto precisa se dar o respeito para ser respeitado, Venâncio afirmou que um governador, mesmo em exercício, precisa ter postura. “Dignidade. Um governante não pode ser desrespeitado, desmoralizado. Respeite a oposição. Esse linguajar sujo. Verborréia. Como vice-governador é muito ruim, mas como rainha é bom”, disse atribuindo a frase ao jornalista Adiberto de Sousa. “Não ficarei calado para macho nenhum.”

Ana Lúcia

Mesmo sendo da bancada do governo do Estado, a deputada estadual Ana Lúcia (PT) também reprovou a utilização da palavra “doce”. A parlamentar salientou que o termo foi utilizado na operação navalha, que todos sabem o quer dizer, e entende que isso não ajuda em nada neste momento para a aprovação do Proinveste. Reprovando também a menção da palavra “real”, utilizada pelo vice-governador, Ana disse que até os deputados governistas acabam sendo atingidos pela insinuação. “E quem votou a favor recebeu doce? Não admito”, lamentou a deputada, pedindo uma trégua.

Gilmar Carvalho

O deputado Gilmar Carvalho (PR), por sua vez, foi mais duro com JB. Assegurou que o vice-governador não tem vergonha na cara e não aprendeu a lição das urnas. “Aracaju lhe deu um recado. Ele se viu eletrizado pelo doce do então governador Albano Franco. O tempo diz que as pessoas podem mudar. Pensei que ele tivesse regenerado. Mas pegou o poder e voltou a ser o velho Jackson das ofensas. Quem agride não quer convencer. Não calça as sandálias da humildade”, disse. “Aprendi com Joanna de Ângelis que a gente vê nos outros aquilo que a gente é”.

Da redação Universo Político.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aluna de 13 anos é filmada fazendo sexo em escola de São Paulo

Veja a relação de aprovados no Exame da Ordem em Sergipe