Suspeito de assassinar família vai a velório antes de confessar crime


Casal, filha e neto foram mortos com golpes de martelo e marreta em SC.  'Ele acabou com nossa família', diz irmã do homem, que foi preso.

Géssica Valentini e Vanessa MoltiniDo G1 SC com informações da RBS TV

Suspeito de matar pais, irmã e sobrinho foi ao velório dos familiares, em Penha (Foto: Agência RBS)Suspeito (de azul) de matar pais, irmã e sobrinho foi ao velório dos familiares, em Penha (Foto: Maiara Bersch/Agência RBS)
O homem de 38 anos, que confessou neste domingo (9) ter matado os pais, a irmã e o sobrinho, foi ao velório dos familiares antes de se entregar à polícia. O crime ocorreu na sexta-feira (7), emPenha, no Norte de Santa Catarina.
De acordo com a polícia, o próprio suspeito avisou sobre o crime, mas no primeiro depoimento ele afimou que estava tomando banho quando ocorreram os assassinatos. Ele foi liberado, mas depois voltou e confessou ter matado os quatro familiares.
Ela [mãe] amava todos, mas especialmente esse que a assassinou"
Silvia, irmã de suspeito
Silvia Santos perdeu os pais, a irmã e o sobrinho. "Ele acabou com a nossa família e acabou com a vida dele", desabafou ela. Conforme conta Silvia, a mãe tinha um carinho especial pelo filho. "Ela amava todos, mas especialmente esse que a assassinou, que tirou a vida dela cruelmente, e do meu pai, da minha irmã e do meu sobrinho", disse.
Segundo o delegado Rodolfo Farah Valente Filho, o homem é usuário de drogas há cinco anos e afirmou estar sob efeito de cocaína ao cometer os assassinatos. Ele foi preso temporariamente na noite deste domingo (9).
A outra irmã, Zilda Delfino, afirma que já havia conversado com Silvia sobre as atitudes do irmão. "Há pouco tempo ainda comentei: 'Silvia, eu tenho medo pela Preta [apelido da irmã assassinada], pelo pai, pela mãe, pelo Pedro [sobrinho]' dele ficar devendo e os traficantes cobrarem e matarem a família toda'. Ela respondeu que aqui [cidade] não acontece essas coisas. Infelizmente, o assassino estava dentro da casa da minha mãe", comenta ela.     
Após a confissão, a Polícia Civil pediu a prisão temporária do suspeito. O local de detenção não foi divulgado por questão de segurança.
Depoimento
No segundo depoimento, na tarde deste domingo (9), o homem afirmou sentia raiva da irmã, Leopoldina, de 41 anos, por achar que ela não tratava bem os pais. Ele disse à polícia que usou cocaína e tomou coragem para matá-la. Mas, como não queria que a mãe dos dois, Carmen Cunha Flores, 69, sofresse, chamou a senhora para os fundos da casa e a assassinou com uma marreta.
Segundo o homem, depois de matar a mãe, ele deixou a marreta em uma gaveta, pegou um martelo e foi até um cômodo da casa para executar a irmã. Como o sobrinho, Pedro Henrique, de 10 anos, presenciou a cena, ele também matou o menino, e depois o pai, Luiz, 72, que estava em outro quarto.
  •  
delegacia penha (Foto: Vanessa Moltini/RBS TV)Polícia investiga assassinatos em Penha, SC
(Foto: Vanessa Moltini/RBS TV)
De acordo com o delegado Farah, o homem de 38 anos já era um dos principais suspeitos desde o início das investigações, embora uma pesquisa preliminar não tenha revelado passagem sua pela polícia nem internação por uso de drogas.
Agora, a Polícia Civil tem o prazo de dez dias para concluir o inquérito e entregar à Justiça. De acordo com Farah, as autoridades vão aguardar o laudo pericial e ouvir possíveis testemunhas. Nesse meio tempo, podem pedir a conversão da prisão temporária em preventiva.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aluna de 13 anos é filmada fazendo sexo em escola de São Paulo

Veja a relação de aprovados no Exame da Ordem em Sergipe