“Sintese nunca deu contribuição em questões outras que não fossem salariais”


Governo ajuíza que, sem proposta pedagógica, Sintese tem caráter mercantilista e ataca Marcelo Déda

Ampliar Foto
“Sintese nunca deu contribuição em questões outras que não fossem salariais”

Déda: na mira do Sintese?

Por Joedson Telles

Não ficou sem resposta a avaliação negativa feita pelo Sintese sobre governo Marcelo Déda (PT) no quesito educação. Ao tomar conhecimento de que o sindicato dos professores teria lhe dado como nota apenas 2,1, o governo Déda salientou que o Sintese nunca deu sua contribuição em questões outras que não fossem as salariais. Mais que isso: jamais ofereceu uma proposta pedagógica para ser avaliada pela Secretaria de Estado da Educação – reforçando, assim, o caráter mercantilista das suas reivindicações. O governo observou que, nos anos anteriores, a nota sempre esteve na casa dos 4,0. Este ano, contudo, como não houve condições de corresponder às reivindicações, caiu para 2,1.

“O governo acredita que, para o Sintese, Educação se resume a salários, mas mesmo neste item, o atual governo entende que realizou grandes avanços. Basta pegar o contracheque atual de qualquer professor do Estado e comparar com os valores que ele recebia até 2007, o que ganhou menos dobrou seus rendimentos tendo categoria que chegaram a triplicar o salário. O critério utilizado para a avaliação (do Sintese) é meramente financeiro sem levar em conta os avanços que o governo realizou. Mesmo se o critério for apenas o financeiro, o governo entende que o Sintese está sendo injusto e solicita que o sindicato mostre à sociedade um outro governo em Sergipe que, nas últimas décadas, tenham oferecidos mais reajustes e aumentos reais, acima da inflação, para todas as categorias dos professores estaduais”, diz o governo do Estado, através de uma nota enviada à redação do Universo Político.com, neste sábado 29.

O governo entende ainda que o Sintese tenta desgastar a imagem do governador Marcelo Déda, uma vez que personifica os protestos atacando diretamente a pessoa física do governador. “O governo entende que se trata de uma relação institucional, mas mesmo assim, o sindicato faz questão de atacar a pessoa Marcelo Déda, denotando uma falta de critério e de respeito ao ser humano que todos sabem, passa por um problema de saúde em busca de tratamento. O Sintese se utiliza de dois pesos e duas medidas”, diz a nota. Isso porque quando aponta questões educacionais dos municípios sergipanos o faz sempre identificando o nome do município. “Deixando desta forma muito claro a sua intenção de prejudicar a imagem do governador junto à sociedade. O governo entende ainda que pelo trabalho que vem realizando nas questões pedagógicas e estruturais, muitas destas ações de forma inédita, que a nota dada pelo sindicato deveria levar em consideração estes avanços e lamentou mais uma vez que o critério usado seja apenas o salarial”.

Segundo o governo, o Sintese ainda age de forma anti-democrática, já que avalia as administrações públicas, mas não permite que os professores sejam avaliados. “A Secretaria de Estado da Educação contratou uma consultoria para avaliar o desempenho dos professores e o Sintese rejeitou a avaliação. Esta avaliação iria servir para ajudar a encontrar mecanismos para melhorar o trabalho dos professores, identificando falhas, necessidades de treinamentos, reciclagens e atualizações, levantamentos dos pontos fortes e fracos e diagnosticar as formas de corrigir os desvios para melhorar a qualidade da educação pública”, entende o governo.

Da redação Universo Político.com
Com informações do Governo de Sergipe

Outras ações do governo Déda na Educação


O governo de Sergipe implantou o programa Sergipe Alfabetizadoe de 2007 a 2012 mais de 185 mil pessoas jovens, adultas e idosas freqüentaram as classes de alfabetização da Secretaria de Estado da Educação. Em relação a Reforma de Escolasde 2007 até os dias atuais, o Governo de Sergipe já reformou 72 escolas e 4 quadras. Até o momento foram investidos mais de R$ 70 milhões nas reformas e ampliações das unidades de ensino da rede estadual e, até o final deste governo, estima-se que serão investidos recursos na ordem de R$ 190 milhões em reformas, ampliações, construções de escolas e quadras esportivas.

Em relação ao Programa Pré-Universitário a SEED acumula êxitos todos os anos que pode ser observado nos resultados nos vestibulares 2012 quando a rede pública estadual de ensino aprovou 3.733 alunos, representando um acréscimo de 23,20% em relação ao ano passado, cuja aprovação chegou a 3.030 alunos.

Do total de alunos aprovados em 2012, 2.703 conquistaram vaga na UFS, 413 na Universidade Aberta do Brasil (UAB) e 617 em instituições particulares. O crescimento do número dos aprovados na UFS foi de 36,51% em relação aos vestibulares 2011, cuja aprovação na universidade federal abrangeu 1.980 alunos.

O governo de Sergipe, através da SEED, ofertou em 2012, 6.175 vagas no curso pré-universitário distribuídas em 39 polos presentes em 21 municípios. Ademais, operacionalizou 4 simulados preparatórios para o Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM voltados para os mais de 6 mil alunos do curso pré-universitário e 5 simulados para os alunos do ensino médio em todas as escolas da rede pública estadual.

A SEED criou ainda diversas ações que ajudam a melhorar a qualificação dos professores e que nunca são levados em consideração pelo Sintese a exemplo de cursos de formação continuada e apoio a mestrados e doutorados.

Da SEED

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ORIGEM DE PROPRIÁ - SE

Caminhão furtado em Porto Real do Colégio é recuperado em Propriá/SE