MATERNIDADE DE PROPRIÁ COMPLETA UM ANO

Foto da Internet

Há um ano nascia a primeira criança na cidade ribeirinha de Propriá, na nova maternidade do município, resultado de um investimento de R$ 7,5 milhões do Governo do Estado. O fato foi comemorado com muita alegria pelas gestantes que antes tinham que se deslocar até Capela e Aracaju.

A primeira criança nascida na maternidade de Propriá foi Rebeca Luiza, filha de Lindinete Freire dos Santos, que nasceu de parto normal com 3,6 quilos, exatamente às 23h35 de uma quinta feira do dia 22 de dezembro de 2011. O parto envolveu nove profissionais do hospital e após 20 minutos do seu nascimento, a pequena Rebeca já estava sendo amamentada pela mãe, conforme preconiza a Política Nacional de Humanização do Ministério da Saúde.

A família da criança reside no município de Telha, uma vez que o referido hospital atende no âmbito regional e neste mês de dezembro comemora com muita alegria, o primeiro aninho da criança que marca também o aniversário da Maternidade após a reforma.

O superintendente do Hospital Regional de Propriá, enfermeiro Magaiver Magno e Silva, comemora os desafios vencidos e os avanços alcançados durante o ano de 2012. “Desde a abertura da maternidade até hoje estamos em constante evolução e melhoria do serviço para atender à população de Propriá e região. Iniciamos os trabalhos em dezembro de 2011 com algumas dificuldades e por isso não estávamos habilitados à realização de partos cesáreos, mas desde janeiro de 2012 já realizamos este serviço. Hoje conseguimos resolver quase todos os casos em Propriá, encaminhando para a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes apenas os casos de alto risco, como deve ser”, explicou o superintendente.

Maternidade de Propriá em números

Desde a inauguração, a maternidade do Hospital São Vicente de Paula já atendeu 2.152 gestantes, realizando 1.048 partos, fruto do trabalha de uma equipe composta por oito obstetras, sete neonatologistas e cinco anestesiologistas, enfermeiros e auxiliares de enfermagem.

O superintendente do hospital explica que o índice de transferência é baixo diante da quantidade de casos atendidos na maternidade.  “Transferências acontecem, mas em um nível baixo e aceitável, já que nossa maternidade é de baixo risco. Tínhamos dificuldades para a conformação da escala, porém há alguns meses estamos com a escala completa e funcionando em pleno vapor. Apesar da média satisfatória de 100 partos ao mês, o objetivo é melhorar estes números no ano de 2013, aumentando o número de partos mensais”, concluiu o superintendente.

Fonte: Faxaju

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aluna de 13 anos é filmada fazendo sexo em escola de São Paulo

Veja a relação de aprovados no Exame da Ordem em Sergipe