ESCÂNDALO: Caso de Polícia no Hospital São Vicente de Paula

por: Claudomir Tavares/Tribuna da Praia

Confirmada a nomeação de pessoas sem habilitação em saúde pública para o exercício da gestão de hospital, caso deverá parar sim na polícia e ser levada ao Ministério Público

Hospital não pode ser dirigido por pessoa que não seja um gestor em saúde pública
 
O exercício ilegal da profissão deve ser tratado como caso de polícia. Seja ele na Educação, na Saúde, no Direito ou em quaisquer outras áreas do conhecimento. Um caso está semelhante pode estar sendo levado a cabo na cidade ribeirinha de Propriá, onde a promiscuidade política pode estar conduzindo gestores sem a mínima habilitação para dirigir a mais importante casa de saúde do Baixo São Francisco. Caso seja confirmada nos próximos dias, mais que um escândalo político, tem que ser encarado como um caso de polícia.
E assim caminha a saúde no governo de Marcelo Déda Chagas
 
Não vale dizer aqui que, “ah, mas de diretor, administrador ou outra função administrativa pode, só não pode de médico, enfermeira e funções afim”, pois isto se caracteriza uma aberração, pois imagine se diretor de escola não fosse alguém ligado as ciências pedagógicas, se um responsável por uma unidade de segurança pública não fosse alguém da área, enfim, “cada macaco no seu galho”, conforme velho e sábio adágio popular.

por Claudomir Tavares |Tribuna da Praia claudomir21@bol.com.br


 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aluna de 13 anos é filmada fazendo sexo em escola de São Paulo

Veja a relação de aprovados no Exame da Ordem em Sergipe

Sérgio Menezes Lucas faz aniversário