Dr. Pintassilgo: Propriá/SE

Por: TV Migalhas

Rio São Francisco
"Rio São Francisco:
Jeito manso de fluir,
Vocação para unir as pessoas.
Líquido espelho
Em que fui me refletir
Para também calmamente remar
Vida afora
E ante a droga da desunião
regir: 'to fora'."



Carlos Ayres Brittoin "A pele do ar"
A pequena Propriá/SE, de 28.402 habitantes, é grande em sua capacidade de inspirar. O ministro e poeta Carlos Ayres Britto que o diga. Natural da "Princesinha do Rio São Francisco", o presidente da mais alta Corte do Brasil encontrou nas margens do "Nilo brasileiro" a nascente de seus versos.
Britto bebeu da fonte da poesia ainda adolescente, aos treze anos. Deu, então, vazão às palavras e foi levado pelo fluxo das águas do Rio São Francisco desta casa, na Praça Coronel João Fernandes de Britto, em Propriá, para a "foz da Justiça", o STF.
Propriá deve ter um húmus jurídico em suas terras. O pai do ministro, João Fernandes de Britto, foi juiz de Direito do município. Era também inspirado poeta. Além dos Brittos, o magistrado propriaense Bernardo Machado da Costa Dória foi o primeiro desembargador de Fortaleza/CE.
Histórico
Com 210 anos, Propriá teve origem no princípio do século XVII, quando foi instalada em seu território uma missão jesuíta para catequese dos índios.
O município, que comandava administrativamente várias cidades da região do rio São Francisco, era conhecido na época como Urubu de Baixo e pertencia a Cristóvão de Barros, conquistador de Sergipe, o qual doou o território, em 9 de abril de 1590, a seu filho, Antônio Cardoso de Barros.
No final da primeira metade do século XVII, as terras de Urubu de Baixo foram doadas pela viúva de Antônio Cardoso de Barros, D. Guiomar de Melo, a seu genro, Pedro Abreu de Lima.
Por conta do rio, das várzeas férteis e da proximidade com a Vila de São Francisco, hoje Penedo/AL, Urubu de Baixo se desenvolveu. A situação econômica era tão confortável que o arcebispo primaz do Brasil, dom Sebastião Monteiro da Vide, determinou que a povoação se transformasse em freguesia, libertando-se de Vila Nova do São Francisco, atual Neópolis/SE. Nascia, em 18 de outubro de 1718, a Freguesia de Santo Antônio do Urubu de Baixo.
Já em 1º de agosto de 1800, Antônio Pereira de Magalhães e Paços, ouvidor geral e corregedor da Comarca de Sergipe d'El Rei, apresentou um pedido ao capitão-general e governador da Bahia, dom Fernando José Portugal, para que transformasse a freguesia em vila. A instalação da Vila de Propriá foi realizada com uma solenidade festiva em 7 de fevereiro de 1802.
E pela resolução provincial 755/66, Propriá foi elevada à categoria de município. Atualmente, ela é a 22ª cidade mais rica de Sergipe.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aluna de 13 anos é filmada fazendo sexo em escola de São Paulo

Veja a relação de aprovados no Exame da Ordem em Sergipe