Mendonça Prado diz que PT quer cassar seu mandato


Sob o argumento de que o deputado federal Mendonça Prado (Democratas/SE) incitou os enfermeiros na sessão da Câmara dos Deputados que apreciava Projeto de Lei de nº 2295/2000, que regulamenta a jornada de trabalho dos enfermeiros em 30 horas semanais, o Partido dos Trabalhadores representou Mendonça Prado para iniciar um processo de cassação do mandato.
Os trabalhos foram marcados por debates acalorados e uma nítida ação governista, objetivando a inviabilização do processo de votação. Percebendo a manobra do governo e as atitudes do presidente Marco Maia, Mendonça denunciou no microfone que o presidente da Casa e o PT estavam prejudicando os enfermeiros. Neste instante, os enfermeiros passaram a vaiar Marco Maia e a entoarem palavras de ordem contra o Partido dos Trabalhadores. Irritados com a sintonia de Mendonça Prado com os trabalhadores de enfermagem, os petistas decidiram pedir a cassação do deputado sergipano, alegando quebra de decoro parlamentar.

“O PT me odeia, porque sou defensor dos trabalhadores e eles são enganadores do povo. Eles estão com raiva, porque mantenho viva a bandeira da PEC 300 e porque quero a carreira de Estado para médicos e odontólogos, e já estou mobilizando o Brasil para isso. Sou defensor da criação de cargos e salários para agentes comunitários de saúde e combate as endemias. Defendo, ainda, aumento para os integrantes das forças armadas, aumento do orçamento da Polícia Federal e valorização dos magistrados e promotores de justiça, jornalista e outras categorias. Eles estão com raiva, também, porque estou obstruindo os trabalhos da Comissão de Finanças e Tributação para votar projetos que melhoram a Defensoria Pública no País”, ressaltou Mendonça.

Segundo Prado, os enfermeiros foram enganados pelo presidente Marco Maia que pautou a matéria para votação e sob as articulações do seu partido, encerrou a sessão sem concluir o processo legislativo.

“A Câmara dos Deputados não pode fazer os servidores públicos de bobo. Se a matéria foi pautada, ela deve ser votada. A partir de hoje, lutarei com mais afinco como se enfermeiro fosse. Posso ser cassado, mas tenho convicção que não pratiquei nenhum crime. O meu papel é defender o povo e não enganar como estão fazendo os integrantes do PT”, disse Mendonça.

No auge da discussão, o presidente Marco Maia chamou Mendonça Prado de “desqualificado”, e que não representa a sociedade brasileira, e que nunca solicitou ao presidente a votação.

Em resposta, o parlamentar sergipano apresentou os requerimentos nº 784/11 e 496/12 provando que já havia solicitado duas vezes a votação da proposta, desmascarando Marco Maia. Sobre o termo “desqualificado” e que não representa a sociedade, Mendonça Prado apresentou o seu currículo dizendo que foi três vezes vereador de Aracaju, deputado estadual, três vezes deputado federal, secretário estadual de Administração, é advogado, especializado em Direito Tributário, mestrando em Direito Internacional Econômico Tributário pela Universidade Católica de Brasília e presidiu em 2011 a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e que por essa razão não se acha desqualificado.

Por fim, Mendonça com o dedo riste bradou: “Marco Maia me respeite, respeite o povo sergipano e procure o seu lugar”. O parlamentar disse ainda que o fim do processo de cassação não irá intimidá-lo e que ele se sente estimulado a agir com mais eficiência no Congresso.

Fonte:Nenoticias

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aluna de 13 anos é filmada fazendo sexo em escola de São Paulo

Veja a relação de aprovados no Exame da Ordem em Sergipe